Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Mais uma vez os carros elétricos

Mäyjo, 30.04.20

images.jpeg

Muito se fala sobre os carros elétricos; será que só têm vantagens?

Aparentemente não. Associado à produção e uso de carros elétricos muitas questões se podem levantar.

Estes carros funcionam a bateria, para armazenar a energia que o faz funcionar. A reciclagem dessas baterias vai ser um problema! A mineração para a obtenção do lítio, para a produção dessas mesmas baterias, outro! Muito provavelmente, os países não terão energia suficiente para tantos carros elétricos, problema que, por exemplo, já se está a sentir na Suécia.

Outra questão é: o que se fará ao grande problema ambiental que surgirá com o abate dos milhões de carros a diesel e a gasolina que estão em circulação?

Grande parte das ferramentas para a manutenção deste tipo de automóveis também será diferente. O que se faz às antigas?

Podemos também pensar em questões mais práticas, que nos poderão afetar enquanto utilizadores destes carros: imaginemos alguém que fica preso num carro elétrico apanhado num nevão e que tem de ficar horas dentro dele, com o aquecimento ligado para não morrer de frio; quanto tempo dura a energia para isto?

 

Em suma, ninguém dúvida que esta transição para os carros elétricos traz benefícios, mas penso que é necessário refletir-se mais sobre este assunto. Temos de ter em conta que também se irá gerar uma enorme poluição ambiental que não estará a ser tida em conta, pelo menos até agora.

Gostava de saber as repostas a estas questões esclarecidas publicamente por quem sabe...

E SE OS CANDEEIROS DE RUA TAMBÉM SERVISSEM PARA CARREGAR O CARRO?

Mäyjo, 10.07.17

Ubitricity estacao carga

O carregamento é sem dúvida um dos maiores problemas de quem tem um veiculo eléctrico. Sobretudo para quem não tem uma garagem com uma tomada. Existem as estações de carga na rua, claro (muito económicas até agora), mas faltam lugares, e vão faltar cada vez mais à medida que o número de Veículos Eléctricos (VE) aumenta.

 

Daí a genialidade desta solução agora encontrada, aproveitando os postos de electricidade normais para carregar os VE. E, como tudo é circular, a medida só se tornou possível com as novas luzes LED, que consomem menos energia, libertando-a para outros usos.

Assim, conseguem-se aumentar em muito os lugares de estacionamento, gastando apenas uma fracção dos custos: a agência de notícias Reuters fala em 500 a 800 euros, por oposição a uma estação dedicada de 10 000 euros.  E existem mais vantagens: como são estações de carregamento “normal” (seis a oito horas para a carga completa) facilitam a gestão energética das cidades e permite que as novas estações dedicadas sejam ultra rápidas.  

Ubitricity estacao carga1

Tudo esse deve à tecnologia de uma empresa alemã, Ubitricity, como diz o co-fundador Knut Hechtfischer “Isto é uma coisa que, neste momento mais ninguém consegue fazer porque ninguém tem carregadores tão pequenos como os nossos”.  Isto porque a Ubitricity passou parte da tecnologia necessária para o cabo, que deve ser adquirido pelo consumidor, para saber por exemplo quem consome o quê, para que sejam debitados os valores correctos às pessoas certas.  

OSLO VAI PROIBIR CARROS NO CENTRO ATÉ 2020

Mäyjo, 04.01.16

oslo_SAPO

A cidade de Oslo, na Noruega, está a preparar a mais agressiva legislação anticarros do mundo, que a levará a proibir os automóveis de circularem no seu centro até 2020. “Queremos um centro sem carros”, explicou aos jornalistas Lan Marie Berg, negociadora do Partido Verde norueguês para este assunto.

Segundo o Autoblog, este plano é aceite pelos três principais partidos da câmara de Oslo – os verdes, trabalhistas e socialistas – e transformará a cidade na primeira a banir permanentemente os carros do seu centro, uma medida que tem sido tomada, em alguns dias e horas, por algumas cidades da Europa e Estados Unidos.

Com menos carros para transportar pessoas, os governantes querem encontrar formas alternativas de movimentar os cidadãos. Está prevista a construção de mais de 55 quilómetros de ciclovias até 2019, assim como a extensão da infraestrutura de transportes públicos da capital norueguesa.

Os elétricos, autocarros e outros veículos de transporte de pessoas continuarão a poder frequentar o centro da cidade, assim como carros conduzidos por pessoas com deficiência.

A capital pretende também tornar-se num paraíso para os carros elétricos que, na verdade, já circulam em números muito interessantes. O facto de a maioria da população proprietária de carros viver na área da Grande Oslo e, paralelamente, esta distar poucos quilómetros do centro da cidade, tem levado vários noruegueses a comprar um veículo elétrico.

A nível nacional, foi feita uma proposta para que, até 2025, perto de 100% dos novos carros vendidos serem elétricos. A proposta faz parte do plano para cortar as emissões de gases com efeito de estufa em 40%, nos próximos quinze anos, em relação aos dados de 1990.

Foto: Nicolò Lazzati / Creative Commons

Ford pesquisa carro movido a energia solar para uso diário

Mäyjo, 15.09.14

Ford pesquisa carro movido a energia solar para uso diário

Se os carros eléctricos são más notícias para a indústria petrolífera, os carros a energia solar são ainda piores. Porém, são boas óptimas notícias para o meio ambiente e para os condutores, que podem poupar centenas de euros em combustível. E foi a Ford a construtora pioneira a mostrar ao mundo que é possível construir carros movidos a energia solar.

A marca norte-americana está a desenvolver uma versão teste do C-Max Solar Energi Concept, uma versão do C-Max híbrido alimentada a energia solar. Esta versão ainda mais amiga do ambiente está equipada com um tejadilho de 1,5 metros quadrados de painéis fotovoltaicos que alimentam a bateria de iões de lítio do carro.

A Ford estima que a bateria do carro demore seis a sete horas para estar completamente carregada e tem um alcance de 33,8 quilómetros. Mesmo sendo um modelo movido a energia solar, o carro está equipado com um motor que também pode ser alimentado com gasolina que é accionado quando a bateria alimentada a energia solar se esgota.

Segundo o director de infra-estruturas da construtora, Mike Tinskey, a marca vai passar 2014 a testar o conceito para perceber se pode funcionar numa produção a larga escala, refere oQuartz.

O C-Max Solar Energi Concept resulta de uma colaboração entre a Ford, a SunPower e o Georgia Institute of Technology. O novo modelo deverá ser apresentado na próxima semana no Consumer Electronics Show em Las Vegas. Tal como muitos modelos de teste, esta versão solar do C-Max pode nunca ser produzida a uma escala comercial.